terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Marta Gautier - Tanto que eu não te disse!

"Tanto que eu não te disse" é - para mim - basicamente (e apenas isso) a história de uma mulher depressiva, que se deprime com tudo e nem sabe ao certo o motivo de isso acontecer. Eu sei que existe quem goste do livro e ache que ele é uma viagem aos tormentos da mente humana mas para mim é apenas uma história fraca, que não prende e que se limita a explorar uma depressão mal explicada - talvez eu não tenha gostado do livro porque detesto que as pessoas se queixem sem motivos e a personagem deste livro é assim, uma eterna infeliz com a sua vida, sem saber ao certo o motivo para isso acontecer, li o livro duas vezes e a opinião manteve-se das duas. No entanto durante todo o livro somos surpreendidos com boas frases e bons pensamentos, frases que acabam por valer mais sozinhas do que na história em si mas que fazem valer a leitura do livro.

Como referi existem pessoas que adoram o livro e o acham fantástico, eu não me consegui sentir cativada pelo mesmo, não consegui sentir que a personagem tivesse uma depressão, que se sentisse perdida, que precisasse de ajuda, vi apenas uma pessoa depressiva (e uma pessoa depressiva é diferente de uma pessoa com uma depressão) e insatisfeita com tudo.
Definitivamente não é um livro que entre nas minhas preferências.

"Amas-me? Se me amas estás doente, porque eu não sou nada. Juro que não te faço feliz. Se gostas de mim, és estúpido."

"Os teus olhos são perversos, disfarçados de cordeiros, não passam de lobos a devorar-me a liberdade"

"Levanta essa cabeça, mexe essas pernas e segue a tua estrela"

"Que dor não estares aqui para me aquecer. Saudades do teu riso"

"Desencontros permanentes que vão pesando sobre mim"

"Acredito no amor... No dia em que deixar de acreditar posso enlouquecer!"

"Hoje não quero ser louca"

"Amar é reconhecer o outro como diferente e não como um prolongamento de nós mesmos"

"Dizem que tenho tudo para ser feliz, mas não sou. Acordo já desesperada para que o dia acabe e se apodere de mim o sono, e me faça esquecer tudo!"



"Posso ser uma fada, uma princesa? Qual delas prefere dormir em vez de iluminar, qual delas prefere morrer a deixar-se fascinar pela beleza? Qual delas? Não sou nenhuma fada, nenhuma princesa"

"Dizem que a «força vem de dentro». Mas quem são para afirmar isso? Que sabem da nossa vida, do nosso espírito, para fazer sugestões? Se «vem de dentro», que nos arranquem a pele e apontem onde está! Merda para todos."

"Não sabem nada de mim. Ninguém sabe nada de ninguém... Não somos histórias contadas em hora e meia"

"Que estou eu aqui a fazer? Um braço de ferro com a vida? Não quero!"

"Que precisa para ser feliz?"

"Porque é que sou assim? Porque é que por vezes me acho tão insignificante e outras me acho a mulher melhor do mundo, capaz de enfeitiçar os homens para sempre?"

"Às vezes temos de bater no fundo para renascer"

"Querer gritar com toda a gente. Gritar por não desconfiarem o que te vai na alma"

"Venci-me e estou de parabéns"

"Diz-me meu Deus, estás a velar por mim? Estás? Estas a pegar-me ao colo como conta aquela história? ... Fica ao meu lado enquanto durmo, dá-me a tua mão quando me levanto, enxuga-me as lágrimas quando vierem"

"Há defeitos de que não prescindo"

"Pára de dizer que está tudo errado, fica ao pé de mim"

Sem comentários: