terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Jodi Picoult - Para a minha irma

Este é daqueles livros que nos deixa tão sem fôlego que nem sequer consegui anotar frases, estava completamente perdida na leitura, o livro é simplesmente fantástico.

Resumindo muito rapidamente a história, o livro fala-nos de um casal perfeitamente normal com dois filhos saudáveis, no entanto um dia a filha é diagnosticada com leucemia e eles decidem ter um terceiro filho (Anna) para usar as células do cordão umbilical no tratamento da filha doente, no entanto as coisas não correm bem e durante anos Anna é sujeita a procedimentos médicos para ajudar a manter a irmã viva. Um dia ela decide que já chega e coloca os pais em tribunal de forma a que seja ela - e só ela - a decidir se quer ou não ajudar a irmã..

E é aqui que todos ficamos divididos.. O que faríamos se estivéssemos no lugar dos pais de Anna? É justo usar uma criança vezes e vezes sem conta sujeitando-a a procedimentos arriscados para salvar outra? Mas será justo não a usar e deixar morrer a outra filha?
Uma daquelas histórias que nos deixam com um nó no estômago porque não existe o certo e o errado e nenhum pai gostaria de estar nesta situação.

O livro é simplesmente fantástico e recomendo muitoooo.


"Se os extraterrestres viessem à terra hoje e observassem com atenção porque é que os bebés nascem, chegariam à conclusão que a maioria das pessoas têm bebés acidentalmente, ou porque bebeu demais numa determinada noite, ou porque os anticoncepcionais não são 100% eficazes, ou por milhares de outras razões que na realidade não são lisonjeiras."

"Sem ti não consigo saber quem sou."

"Eu levo-a comigo, para onde quer que vá."

Sem comentários: