terça-feira, 19 de maio de 2015

Laura Lee Guhrke - Prazeres proibidos

E quando o amor está mesmo à nossa frente e nós teimamos em não ver?
Quando fugimos dele mesmo sem saber o motivo?
Será que o amor vence mesmo todas as barreiras?

Este livro é um típico romance do inicio ao fim. Os capítulos não são longos, a escrita é leve, divertida e dá vontade de não parar de ler para se saber o que acontece a seguir. A história é boa e bem desenvolvida, resumindo, é uma história "leve" que dá prazer ler e é impossível não acabar o livro a sorrir - pelo menos para quem é romântico.
Recomendado com certeza.

"Toda a mulher tem os seus prazeres proibidos."

"E um amor arruinado, ao ser reconstruido, cresce muito mais belo, sólido e maior." - William Shakespeare

"O amor, [...], devia ser agradável, reconfortante e terno, e não algo cuja intensidade magoasse o coração."

"Amá-lo era o seu prazer secreto e proibido."

"Não posso deixar de acreditar que é possível ser feliz no casamento, apesar da minha péssima escolha."

"Ninguém gosta de ver os seus segredos mais íntimos revelados, especialmente perante uma estranha."

"Sou muito aborrecida com segredos. Guardo-os sempre."

"Não é vergonha nenhuma sentir-se só."



"A beleza não quer dizer nada."

"Som dos seus soluços e do coração a despedaçar-se-lhe."

"Acima de tudo, sofrera pela penosa destruição da esperança que acalentava no coração."

"A única coisa patética nesta história era o quanto de si mesma havia desperdiçado com ele."

"Decidiu que era altura de parar de pensar que não tinha alternativas para o futuro. Era altura de começar a decidir o seu destino."

"Boca de menino amuado."

"Deixara-a sem palavras, aquele sorriso. Ameaçara fazer os joelhos fraquejarem-lhe e fizera o coração saltar-lhe desordenadamente no peito, numa mistura caótica de todas as emoções que alguma vez sentira."

"Os ecos da paixão, gratidão e admiração haviam desaparecido, como acontece a uma vela que se acende, arde durante um curto período e logo se apaga."

"Já não conseguia fazê-la derreter-se como manteiga com um sorriso. O único poder que ele alguma vez tivera sobre ela fora o domínio sobre o seu coração, e isso agora acabara."

"O acesso à história não devia estar limitado às classes mais elevadas, devendo em vez disso, ser um direito de todo o povo."

"Nada como um homem para denegrir o poder do amor."

"O amor nunca deveria sobrepor-se à razão."

"Sempre que ele a olhara de frente daquele modo especial, na realidade olhara através dela, sem sequer a ver, com o único propósito de conseguir aquilo que queria."

"Fechada como uma ostra."

"Toda a gente faz tolices quando se apaixona."

"O desgosto já chegara e já se fora."

"Será que todos os homens se preocupam apenas com a embalagem, sem se importarem com o conteúdo?"

"Quando pensam em mulheres, os homens não são lá muito profundos."

"O amor transforma-nos em idiotas completos ou então em patifes sem honra. Geralmente, as duas coisas."

"Estava a enlouquecer lentamente."

"Um dia, encontrará o seu lugar, [...]. Toda a gente acaba por encontrar."

"O desejo não tinha nada a ver com a experiência."

"Só duas camadas de tecido entre a sanidade e a loucura."

"Amor e desejo eram coisas diferentes."

"Não era o tipo de homem que lhe pudesse partir o coração em dois com um sorriso ou incendiá-la até a medula com o toque da sua mão."

"Sentiu-se tremer de medo por dentro. Tinha medo de ser a paixão dele hoje, mas não amanhã, medo do quanto poderia magoar-se no futuro se cedesse à tentação de acreditar nele agora."

"Vivo para qualquer migalha de atenção que queira conceder-me."

"Não havia flores, nem presentes, nem palavras que pudessem persuadir um coração."

"A loucura chega a todos. Até a ti."

"Submeter-me-ei a uma entrevista para o cargo de marido."

"Nunca na vida desejei nada como a desejo a si."

"Amo-o, mas, enquanto não conseguir partilhar a sua alma comigo, não me casarei consigo."

"Era estranho como algo tão simples podia pôr tudo o resto no seu lugar. Desta vez, acreditaria nele sem exigir mais demonstrações. Desta vez, não teria medo de acabar com o coração partido. Desta vez, não se preocuparia com a hipótese de cometer um erro."

Sem comentários: