terça-feira, 5 de maio de 2015

Francisco José Viegas - Morte no estádio

Quando li o titulo do livro pensei basicamente em duas coisas:
A primeira que alguém tinha morrido no estádio mas não, por incrível que pareça apesar de haver um assassinato e do assassinado ser jogador de futebol, não existe nenhuma morte no estádio.
E a segunda que o livro girava em torno de um assassinato o que também não acontece, a morte acaba por ser uma história completamente secundária no livro, que fica perdida entre entre receitas de comida e os "dramas amorosos" dos polícias que investigam o caso.
Para terem noção o assassinato que dá nome ao livro é tão secundário que o morto nem tem nome.

Para mim o melhor do livro é o final já que o achei surpreendente e não estava nada à espera.
Apesar disso não gostei do livro, talvez por ter criado uma história à volta do titulo que nada tem a ver com o livro.
Eu definitivamente não entendi a escolha do titulo.

"Vai ser sempre o costume entre nós."

"- Sei que vou ter saudades tuas.
- Vais ter saudades de mim na cama."


"Um bar é eterno, se for bom."

"A morte não tem horários precisos para acontecer."

"No fundo, morre-se de qualquer maneira."

"Nada se faz sem emoção."

"Quem não sabe comer bem não sabe viver."

"Os jogadores são amados ou esquecidos. Mas poucos são odiados."



"Todos precisamos que nos ouçam algum dia."

"Está um nevoeiro muito grande na minha vida toda, nunca vi tanto nevoeiro."

"Quase todas as novas histórias imitam as antigas."

"O destino de quem se sente inclinado a querer todas as mulheres que conhece é triste."

"Tenho saudades, saudades a sério."

"Sobreviver e esquecer são coisas próximas."

"Podemos gostar de muitas coisas e pode acontecer, também, que essas coisas não sejam para nós."

"Há gente para tudo e deve haver alguém para nós, à nossa altura."

"Ninguém escapa, quando se trata de morrer."

"Não sou inocente. Sou perverso de mais, o que é uma coisa parecida."

"Quando é que, realmente deixamos de amar alguém?"

"Há coisas que se sabem, coisas que se sentem e coisas que se pressentem."

"Nunca se conhece muito bem o coração dos outros."

"Qualquer um podia subir ao céu e descer por escadas de nuvens, pedaços de algodão cor-de-rosa."

"Tudo começa quando começamos a imaginar."

"O mundo corre muito depressa."

Sem comentários: