sábado, 7 de março de 2015

David Ignatius - Os Agentes da Inocência

Resumo: 
Num universo de falsas alianças, traições e morte, onde tudo se conjuga para a perpetuação do terrorismo, Tom Rogers, um agente da CIA, infiltrase numa força de elite palestiniana, estabelecendo um acordo secreto com um jovem agente dos serviços secretos da Fatah.

A minha opinião: 
Começando pela parte menos positiva, o livro tem muitass personagens e às vezes torna-se difícil seguir-lhes o rumo porque estão ausentes em 200 páginas e depois aparecem ali no meio dos acontecimentos, além disso às vezes acontecem coisas que ficamos a pensar que vão ser desenvolvidas lá mais para a frente e não são, aconteceram só porque sim, não são significativas para a história.
Tirando isso o livro é bom, a primeira edição foi lançada em 1987 e mesmo assim o assunto é tãooo actual, a guerra no médio Oriente.
Ficamos a conhecer um bocadinho melhor o inicio dos conflitos por lá mas nada que nos torne prós no assunto.
É bom o livro mas não é espectacular nem daqueles imperdíveis.


"A verdade é elástica."

"O olhar de um homem perdido em pensamentos, ou talvez perdido na ausência de pensamentos."

"Expomo-nos ao perigo quando consideramos a nossa opinião como suficiente."

"Não te demores muito a olhar para o abismo, deixa que o abismo olhe para ti." - Nietzsche

"Sem honestidade não há espaço para a confiança."

"Sei onde quero estar, [...], mas não sei onde estou."

"Conhecimento é poder."

"O terrorismo é a arma dos fracos."

"Por vezes, fazemos coisas sem qualquer motivo para além do simples facto de nos apetecer fazé-las."

"Somos todos prisioneiros do destino."

Sem comentários: