sábado, 28 de fevereiro de 2015

Marc Levy - A próxima vez

Resumo:
Jonathan é um especialista em arte apaixonado pela obra de um pintor russo, que ao ser informado que uma galeria tem na sua posse 5 quadros do pintor decide ir até lá verificar se entre essas obras estará a sua favorita.
Ao chegar lá conhece Clara por quem sente uma enorme empatia imediata e quanto mais Jonathan e Clara descobrem acerca da última obra de Radskin, mais descobrem acerca de si próprios: três vidas muito diferentes, três destinos entrelaçados, presos numa corrida contra o tempo...

A minha opinião:
Brilhante, absolutamente brilhante. Tem uma história fantástica, uma escrita fluida, há sempre um mistério atrás do outro, quando resolvemos um aparece-nos outro. É dos melhores livros que já li, uma história belíssima onde os séculos não contam para nada.


"Na amizade não há dividas."

"Somos uma espécie apaixonada pela investigação, mas que tem medo de descobrir." 

"O que é invisível ao olhar não deixa por isso de existir."

"O único dom que tenho. [...] É o de conseguir ter sempre tempo de olhar para o meu marido, para os meus filhos e para os meus amigos, é a minha maneira de os compreender e de os amar." 

"Cuidado, o coração pode amar acaba por se rasgar quando o puxamos de mais."

"Achas que se pode amar ao ponte de a morte não apagar a memória?" 

"Não se pode mentir aos sentimentos."

"Há presenças que acalmam, mesmo que sejam silenciosas." 

"Amo-te, sem poder parar de te amar, sem saber como nem porquê. Amo-te assim. Porque não conheço outra maneira de o fazer. Onde tu não existires, eu também não existo."

Sem comentários: