quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Paul. J. McAuley - A invenção de Leonardo

Este não é decididamente o meu tipo de livros, não gosto quando se criam fantasias à volta de uma pessoa real, neste caso Leonardo Da Vinci que é basicamente descrito como um velho caquético com queda para romances gays.
O livro é uma aventura enorme, com conspirações e mistérios mas tem diálogos que cortam completamente a dinâmica da história e que nos (me) deixam entediados.
Poderia ser muito bom se metade dos diálogos e divagações desaparecessem e se o Da Vinci não tivesse sido metido ao barulho.

"Os homens podiam lutar contra o destino, mas nunca conseguiam vencer o passado."

"Quando morremos, o sofrimento cessa de uma vez por todas. Já não  há razões para tal."

"Quem segue os passos dos outros, nunca poderá chegar à frente."

"A esperança é sempre disparatada, atendendo à crueldade do mundo. Mesmo assim é a última coisa a morrer."

Sem comentários: