quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Augusto Cury - A sabedoria nossa de cada dia

Alguma vez parou para pensar no significado da oração do pai nosso?
Eu não, já a disse provavelmente milhões de vezes e nunca tinha parado para pensar no significado da mesma.
Este livro é isso, uma análise ao que Jesus quis realmente dizer.

Mas segundo o livro, não se trata de fé, de termos sempre comida na mesa ou de estarmos protegidos do pecado, segundo Augusto Cury trata-se da nossa mente, da nossa saúde mental, da nossa preparação para sermos melhores pessoas; segundo ele Jesus foi o maior especialista da mente humana e é isso que ele analisa.
Não é preciso ser crente para ler o livro, basta apenas querer aprender um pouco mais sobre a mente, sobre a sua mente e as partidas que esta às vezes lhe prega.

Concordando ou não com as teorias dele, Augusto Cury é sempre uma boa leitura.


"Um dos maiores segredos da existência é o autoconhecimento e a compreensão de que não somos heróis,
mas seres humanos sujeitos a inúmeras falhas.
Aceitar as nossas limitações e imperfeições pode causar-nos uma breve inquietação, mas também pode dar-nos uma oportunidade preciosa
para transformar a ansiedade em criatividade,
as decepções em tolerância e as perdas em maturidade.
Para isso, nutra a sua emoção e o seu intelecto com
sabedoria, humildade, generosidade e tranquilidade.
Embora muitos tenham uma mesa farta, vivemos
numa sociedade de famintos. Desejo que os seus dias
sejam felizes mesmo diante dos seus desertos."

"Devemos ser sensatos como os adultos mas curiosos como as crianças-
Devemos reflectir como os idosos, mas explorar o mundo como os adolescentes."

"O melhor educador é o que gera uma fonte de perguntas junto dos seus alunos, e não o que é uma fonte de respostas prontas. As respostas prontas produzem servos; o questionamento, pensadores."

"Quem não é capaz de respeitar as pessoas diferentes cometerá um crime na sua história."

"Sentir solidão não depende de uma escolha; mas superá-la, sim."

"Viver é uma arte belíssima e extremamente complicada. Existir é uma experiência complexa que possui variáveis nem sempre controláveis. A pessoa mais calma vive momentos de ansiedade; a mais coerente, momentos ilógicos."

"Uma pessoa que exige muito dos outros está apta a trabalhar num banco, mas não a conviver com pessoas. Um pai que exige excessivamente dos filhos não está apto a educar. Um executivo excessivamente crítico e implacável não está apto a liderar. Paciência e tolerância são elementos insubstituíveis para quem quer estimular os outros a crescer. Rigidez e intolerância são elementos fundamentais para bloquear a criatividade das pessoas."

"Há mais de mil milhões de pessoas famintas no mundo, cada uma delas com triliões de células que clamam por proteínas, carbohidratos e vitaminas. É uma vergonha, uma injustiça e um crime social indecifrável que a abundância de alimentos nas sociedades modernas conviva com tantos famintos."

"Ninguém é digno do pódio se não usar os seus fracassos para o alcançar. Os fracassos são inevitáveis para quem quer empreender. Mas infelizmente, vivemos numa sociedade doente que gera pessoas doentes. Uma sociedade que pune os derrotados, destrói a criatividade dos feridos, esfacela o encanto dos frustrados."



"Fazer coro para aplaudir os que têm sucesso é uma tarefa para os prosaicos, mas apostar nos que falham e parecem incorrigíveis e nutri-los é um desafio para os sábios. Valorizar os que nos dão retorno é uma tarefa para os comuns, mas acreditar nos que nos perturbam e suprir as suas necessidades é um desafio para os sábios. Muitos educadores têm preferência pelos alunos bem-comportados, mas são os alunos com maiores dificuldades que precisam da atenção dos seus mestres."

"Qualquer pai com uma boa condição financeira pode dar presentes, computadores, roupa e as melhores escolas aos filhos, mas só os pais maduros se dão a si próprios e repartem as suas histórias para que os filhos desenvolvam a sua personalidade com sabedoria. Só os pais intelectualmente nobres contam os seus sofrimentos e derramam as suas lágrimas diante dos filhos, para que eles aprendam a tropeçar e a levantar-se, a chorar e a serem consolados."

"No dia em que achar que mereço tudo o que tenho estarei infectado pelo orgulho."

"Devemos sentir cada abraço como se fosse o último."

"Devemos procurar viver cada minuto com intensidade como se fosse o ultimo. Viver cada dia com vibração como se fosse único. Amar as pessoas próximas como se fôssemos deixar de as ver."

"Pense no amanhã apenas para fazer planos e tomar algumas precauções, mas não viva o amanhã. Encene a peça da vida no palco do tempo presente - do hoje - como se fosse o último espectáculo."

"Hoje é tempo de diminuirmos as nossas actividades. Se não for possível fazer uma grande cirurgia na nossa agenda, devemos programar-nos para começar a fazê-la seriamente amanhã, depois, gradualmente, no decorrer dos anos. Hoje é tempo de revermos as nossas metas, de colocarmos colirio nos nossos olhos para vermos bem o que tem importância.
Hoje é tempo de amarmos os nossos filhos, de elogiarmos tantas coisas que fazem e que consideramos meras obrigações. Hoje é tempo de lhes pedirmos perdão pela nossa falta de tempo, sem usar a desculpa de que tudo o que fazemos é para bem deles. Hoje é tempo de exigirmos menos e de abraçarmos mais. É tempo de dizermos que eles não se encontram no rodapé das nossas vidas, mas nas páginas centrais das nossas histórias.
Hoje é tempo de deixarmos os nossos títulos académicos e a nossa posição social, de procurarmos os nossos amigos, de os abraçarmos, de os convidarmos para jantar, de recuperarmos o passado, de sabermos o presente, de darmos risadas sem compromissos.
Hoje é tempo de conversarmos com os nossos pais, de descobrirmos os seus mundos, de desvendarmos os capítulos das suas histórias que nunca conseguimos ler, de perguntarmos quais foram a suas conquistas mais desafiadoras.
Hoje é tempo de olharmos nos olhos de quem amamos, de lhes pedirmos desculpa pelo excesso de trabalho, pela nossa rigidez, e de cruzarmos o nosso mundo com o deles, de fazermos programas diferentes, de relaxarmos, de ouvirmos.
Hoje é tempo de namorarmos, de dizermos com ternura «Eu amo-te» ou de admitirmos honestamente «Não sei amar, só sei trabalhar. Ensina-me a amar-te.»
Hoje é tempo de perdoarmos, de compreendermos, de minimizar as ofensas. É tempo de não levarmos a ferro e fogo as nossas manias e exigências. Hoje é tempo de esperarmos menos dos outros e de exigirmos menos de nós mesmos. É tempo de aceitarmos o que não conseguimos mudar sem cairmos no conformismo de aceitar o que é possível transformar.
Hoje é tempo de enfrentarmos as nossas fragilidades, de desvendarmos as nossas «loucuras», de repensarmos a nossa vida, de nos reciclarmos e de descobrirmos que somos seres humanos sem vocação para deuses.
É tempo de estabelecermos estratégias para atingirmos os nossos mais belos alvos. Hoje é tempo de recuperarmos os sonhos perdidos, de rejuvenescermos as nossas emoções, de fazermos coisas simples que irradiam alegria, de dirigirmos o roteiro da nossa história." 

"Que desculpa vamos dar para adiar o que tem de ser feito hoje?"

"O melhor mestre não é o que bombardeia a memória dos seus alunos com informações, mas o que instiga a arte de pensar. Não é o que tem eloquência, mas o que inspira criatividade. Não é o que aplaude os notáveis, mas o que recupera a autor-estima dos excluídos."

"Dialogar não é simplesmente falar, produzir palavras, fazer gestos doseados. É ser espontâneo, singelo, sincero. É abrir o livro da nossa história para que os outros leiam os nossos textos ocultos. É sair do prefácio para conhecer os capítulos mais importantes das pessoas com as quais nos relacionamos.
Dialogar é falar sobre o que as pessoas necessitam de ouvir e não apenas daquilo que nos interessa. É ouvir o que os outros têm para nos dizer e não o que queremos ouvir. Dialogar não é conversar, emitir sons, falar do trivial. Dialogar é entregar-se. É provável que a quase totalidade das pessoas não saiba dialogar, mas apenas conversar.
Dialogar é deixar-se conhecer sem medo pelo cônjugue, filhos e amigos. É tirar as máscaras sociais. É chorar se necessário. É falar das nossas fragilidades, discutir as nossas inseguranças, dissecar os nossos temores, penetrar no tecido dos nossos traumas. O nível de conhecimento que os outros têm de si revela o nível do seu diálogo com elas. Não reclame delas, reclame de si mesmo.
Ter a capacidade de dialogar é adquirir o que o dinheiro não pode comprar, o poder não consegue atingir, a fama não é capaz de alcançar. É ser apenas uma pessoa com os seus acertos e erros, toques de ousadia e reacções de timidez, lances de lucidez e momentos de estupidez. É sair da esfera do heroísmo para entrar na esfera do humanismo.
Dialogar não é controlar as pessoas, mas dar-lhe uma oportunidade para se expressarem. [...] Dialogar não é dizer apenas «eu penso isto» mas perguntar sempre «o que é que pensa sobre este assunto?»
Dialogar não é dominar reuniões, mas dividir a pauta. Não é ser rígido na imposição de ideias, mas debatê-las. Não é querer ser uma estrela, mas estimular os outros a brilhar. Não é ficar tenso, mas relaxar. Não é preocupar-se excessivamente com a opinião dos outros, mas soltar-se.
Dialogar é irrigar a emoção com saúde e o intelecto com criatividade. Não é apontar os erros dos outros, mas reconhecer os nossos próprios erros. Não é discorrer sobre os desapontamentos e frustrações de que somos vitimas, mas sobre os que nós causamos.
Dialogar é olhar para dentro de nós mesmos. É tirar as vendas dos nossos olhos para podermos ajudar os outros a verem . Não é apenas ensinar uma criança, mas aprender com ela, com a sua singeleza e vivacidade. Não é ser um manual de regras, mas um manual de vida. Não é revelar a insanidade dos outros mas descobrir a nossa.
[...] Dialogar não é expor publicamente as falhas dos adolescentes, mas corrigi-los secretamente e exaltar as suas qualidades. Não é exigir resultados imediatos, mas plantar sementes. Dialogar é procurar falar a linguagem dos outros, viver os seus sonhos, entrar nos seus conflitos.
Dialogar não é constranger um colega de trabalho, mas encorajá-lo.
Não é diminuí-lo, mas incentivá-lo. Dialogar é ter o prazer de explorar o mundo do outro. É compreender que os conflitos, medos, ansiedades, derrotas fazem de cada ser humano uma personagem complexa e interessante. Não é excluir, mas abraçar. Não é punir mas compreender. A arte do diálogo implica ser um mestre em aprender."

"Formamos pessoas incapazes de lidar com crises externas, porque não sabem lidar com as próprias crises internas."

"Não tenhas medo da vida quando atravessares uma tempestade e o céu tiver carregado de nuvens escuras. Olha para a tua estrela interior. Aprende a segui-la."

"Não me deixes nunca. Preciso da tua presença."

"A existência humana é uma caixa de surpresas. Num dado momento, estamos a sorrir; noutro a chorar. Numa dada estação, o sol ilumina o nosso rosto; noutra, uma tempestade desaba sobre as nossas cabeças. Numa determinada ocasião, somos aplaudidos; noutra esquecidos ou vaiados. Num determinado momento, somos heróis; noutro vilões. Numa dada temporada, somos imbatíveis; noutra, derrotados. Num dado período, parecemos imortais; noutro, encontramo-nos num leito de hospital."

"Uma coisa é certa: tudo é incerto."

"A dor, o caos e as perdas podem e devem servir como uma oportunidade preciosa para crescermos, amadurecermos e expandirmos a nossa sabedoria."

"Somos deliciosamente ilógicos."

"A tranquilidade também nasce no terreno do stress e só é conquistada pelos que são fiéis ao que pensam."

"Não se preocupe quando ninguém o compreender e quando todos o rejeitarem, pois a angústia acabará por desaparecer."

"Alimentar a própria dor é tornar-se o seu pior inimigo."

"A pessoa mais calma deste mundo terá os seus momentos de ansiedade; a pessoa mais serena perderá o controlo algumas vezes."

A humildade é a capacidade de nos desapegarmos da necessidade neurótica de termos sempre razão, reconhecendo assim os nossos próprios erros e aprendendo com eles. Os humildes reconhecem os seus limites, os orgulhosos consideram-se deuses. Os humildes destroem a auto-suficiência, os orgulhosos colocam-se acima dos outros. Os humildes são eternos aprendizes.
Os humildes despem-se da soberba, os orgulhosos exalam superioridade. Os humildes amam servir, os orgulhosos amam ser servidos. Os humildes têm prazer em fazer os outros sorrir; os orgulhosos só se preocupam com o próprio prazer."

"Muitas das pessoas que parecem humildes gostam de fazer-se de vitimas, têm pena de si mesmas, sentem-se sem sorte, abandonadas, miseráveis. Querem parecer humildes mas no fundo são orgulhosas.
Ser-se humilde é ter ambições que promovem a vida, que abrem espaço para a harmonia, que previnem as crises, que abrandam a dor. É desejar o diálogo, a tranquilidade, o prazer de viver, a flexibilidade e a consciência crítica.
A humildade não é pobreza material, mas valorização do ser sem desprezar o ter. É aceitar o que se possui e lutar pelo que se deseja sem desespero. É usar o dinheiro e a segurança financeira com justiça e sabedoria. A humildade não é pobreza social, mas desprendimento do poder.
As pessoas que se dizem humildes provavelmente não o são. É possível ser-se financeiramente pobre e ao mesmo tempo infectado pelo vírus do orgulho. É possível andar-se vestido como um maltrapilho e ostentar-se o mais arrogante ar de superioridade. Há pessoas tão humildes que têm orgulho da sua própria humildade.
As pessoas que dizem não se importar com o dinheiro provavelmente nunca o ganharam em abundância. Só uma pessoa muito rica financeiramente se pode desapegar do dinheiro. Não preste atenção às palavras proferidas pelas pessoas. Conhece-se um ser humano não pelo seu discurso, mas pelos seus actos e comportamentos."

"É importante termos consciência de que todos nós estamos contaminados pelo vírus do orgulho. E é bom saber que ele nunca morre. Basta alguém criticar-nos, justa o injustamente, para que ele se manifeste, ainda que por breves momentos."

"Uma pessoa é humilde não pela consciência do que possui, mas pela consciência do que lhe falta. Uma pessoa é humilde quando tem a certeza de que lhe falta humildade. Os humildes sabem que o seu orgulho pode estar adormecido, mas não morto."

"Os humildes julgam-se a si mesmos e os orgulhosos julgam os outros. Os humildes reconhecem as suas limitações e os soberbos as dos outros."

"Julgar no sentido de avaliar, criticar e ajudar a construir é um acto saudável. Mas julgar no sentido de acusar as pessoas, de as constranger e de as inferiorizar é doentio."

"A verdadeira auto-estima e a boa auto-imagem surgem quando, com humildade e coragem, deixamos de ser vitimas para nos tornarmos protagonistas da nossa própria história."

"As crianças têm de sentir a vida com suavidade, leveza e ingenuidade. Têm de brincar, correr certos riscos, criar. Não se destrói a infância de uma criança apenas com maus tratos, mas também com superprotecção. Até o excesso de actividades tem o poder de bloquear a infância."

"Algumas pessoas ficam ainda mais angustiadas quando ouvem conselhos pré-fabricados do tipo «olhe em volta, há pessoas em pior posição do que você», «tem de ser forte», «procure distrair-se». São conselhos que não levam em conta a complexidade da dor humana e por isso não exercem qualquer efeito terapêutico. Às vezes é muito melhor dar o ombro onde a pessoa possa chorar e mostrar uma solidariedade silenciosa do que fazer grandes discursos."

"O perdão não é um processo mágico, mas psicológico. Não é apagar a lembrança mas reeditar a memória. O que a grande maioria de nós procura fazer é tentar esquecer os inimigos, desviar a atenção de quem nos frustrou, tentar apagar os nossos arquivos. Essa é a melhor maneira de preservar os nossos conflitos.
A forma de eliminar um inimigo é compreendê-lo, perceber a fragilidade que existe por trás da sua agressividade, a instabilidade que existe por trás da sua traição, a imaturidade que existe por trás das suas ofensas arrogantes. É sobretudo resolver as dividas que o inimigo tem para connosco sem pedir nada em troca. Se houver retorno, se o inimigo mudar de comportamento, será um lucro adicional, pois o lucro emocional já terá sido construído."

Ser afectivo com quem é grosseiro, bondoso com quem é egoísta, dócil com quem é arrogante não significa hastear a bandeira da fragilidade, mas a da força. Os fracos usam a força; os sábios, a inteligência."

"Ser refém do passado é mais difícil do que ser refém de um sequestrador, de um ambiente profissional opressor ou de um casamento conflituoso. Pode-se fugir do cativeiro, mudar de emprego e pedir o divórcio, mas ninguém consegue escapar de si mesmo."

"É impossível enterrar um passado não resolvido. É preciso enfrentá-lo para se livrar do fantasma que o assombra e controla."

"A vida é feita de constantes escolhas."

"É preciso ter coragem para descobrir as nossas imperfeições, ter honestidade para os assumir e uma estratégia para os vencer."

"Cada ser humano tem uma incrível capacidade  para criar fantasmas que não existem ou maximizar os que existem. Não precisamos de ter inimigos fora de nós, pois criamo-los com grande facilidade na nossa mente."

"Dar-se, entregar-se sem medo a quem ama é fundamental, mas é igualmente essencial não deixar que a sua felicidade seja controlada pela cabeça dos outros."

"Os fracos anulam as pessoas diferentes, mas os fortes aprendem com elas."

Sem comentários: