domingo, 10 de agosto de 2014

Hugh Prather - Amor e coragem

O livro é um bocadinho do diário do autor, são excertos daquilo que ele escreveu em determinados momentos.
Não é um livro que vá mudar a nossa vida mas tem pensamentos interessantes e vale a pena ser lido.


"Os preconceitos são cegos."

"Não existem pessoas insignificantes."

"O crescimento individual não pode sobrepor-se aos relacionamentos, pois quando isso acontece deixa de ser crescimento."

"Há um tipo de sofrimento que está muito para além das palavras."

"Somos nós que pomos limites às formas de amor que podemos viver."

"O inicio da mudança ocorre quando uma pessoa aprende a aceitar-se a si própria."

"Os nossos erros são apenas circunstâncias em que limitámos as nossas opções."

"Não é realista, nem razoável, contar que outro ser nutra mais respeito pela minha pessoa que eu próprio."

"O amor não precisa ser exibido, pois pode ser visto e sentido na ausência de qualquer acção. O amor é denunciado por cada músculo e por cada gesto."



"A pessoa com quem quero partilhar a minha vida é aquela a quem posso dar a oportunidade máxima de fazer o que quiser com a sua própria vida."

"O casamento não é um direito mútuo de posse, mas deve ser um acto de confiança no bom senso e nas boas intenções do outro."

"Por vezes uma pessoa precisa de quebrar os seus hábitos e de fazer coisas que não lhe parecem, à primeira vista, naturais ou possíveis."

"Não deixa de ser curioso o conceito de que para sermos «verdadeiros connosco próprios» temos o direito de magoar outras pessoas."

"Um acto sexual em que a outra pessoa é deixada de fora não passa de masturbação, e qualquer pessoa que tenha sido usada dessa maneira sabe o que é sentir-se um objecto."

""A aceitação da personalidade do outro é o ponto de partida para o aprofundamento da amizade."

"Todas as vidas são habitadas por alguma sombra."

"Os amigos acabam por se perdoar mutuamente e por reatar a sua amizade, porque as pessoas precisam mais umas das outras que do seu orgulho."

"O pensamento dirige o olhar, e o olhar dirige a alma."

"Uma pessoa deve viver como se tudo o que fizesse pudesse, um dia, ser divulgado."

"A intriga é uma perda de tempo degradante. A amizade não nasce de estratagemas brilhantes."

"Há momentos para deixar acontecer e momentos para fazer acontecer."

"O facto de uma pessoa ter algo que faz especialmente bem na vida nem sempre significa que tenha de o fazer."

"Talvez as estrelas se tornem visíveis para nos recordarem a proximidade dos anjos."

"Em que momento terei idade suficiente para me responsabilizar pelo que sou?"

"É sempre possível curar o passado."

"Ninguém é detentor absoluto da razão."

"Penso que cuidaria melhor do meu corpo se o visse como vejo um cão. Sei perfeitamente aquilo que a nossa cadela pastor alemão não deve comer ou inalar, e tenho pouca dificuldade em opor-me ao seu desejo de comer ou cheirar cadáveres de pássaros, porque a amo. Se eu realmente amasse o meu corpo, dir-lhe-ia «não» muitas mais vezes."

"É exactamente pelo facto de, um dia, tudo deixar de fazer sentido, que temos de viver intensamente."

"Cada pessoa tem de aprender por si própria as suas lições."

"Não quero ter medo de acreditar. Quero ansiar alguma coisa. Não quero ter medo de levantar a mão para remexer as nuvens. Quero aprender com as minhas dúvidas. Uma pessoa tem de viver a devastação. De vez em quando, uma pessoa tem de ser despedaçada pelos factos da sua existência."

"A felicidade não pode ser solitária.

Sem comentários: